Deutschland

Alemanha é Campeã

#GER
Alemanha é campeã!

Foram muitos anos de trabalho, acreditando que uma nova geração poderia se levantar para mudar a história da nação. Uma liderança foi colocada que mudou os rumos de um grupo que tinha muitos resultados negativos. Muito trabalho duro foi feito, quebrando barreiras que pareciam intransponíveis, muitas frustrações e decepções e uma imagem bastante negativa. Mas não desistiram. Lutaram, cresceram, venceram. E mostraram ao mundo que são campeões.

Parabéns, Alemanha! Parabéns, Angela Merkel! Mostraram ao mundo como, em 50 anos, transformar um país falido e destruído pela guerra em um país que é o motor de todo um continente, e exemplo para todo o mundo.

Alemanha é sim, campeã.

E o tetracampeonato no futebol só foi resultado do que já acontecia fora de campo.

Assim como o fiasco da #SeleçãoBrasileira, que só foi campeã e mostrou dignidade dentro de campo há 12 anos atrás.

(Ih, 12 anos? Não é o tempo que o #PT está no governo? Que coincidência!)

O Brasil ainda pode voltar a ser campeão. E o técnico a gente escolhe em Outubro.

Herança – Os Arrais

Ele acorda quando ainda está escuro
E apalpa a parede até chegar
No quarto que ele consagrou
Sozinho em oração ao construir o seu lar

Quebrantado ele abre a Palavra
Buscando em Deus descanso encontrar
E a paz que enche o coração da esperança que não vai achar em outro lugar

Nas mãos de Deus derrama a sua vida
Que trocaria pela salvação
De cada membro de sua família
E esta é a herança que deixou

Ele acorda quando ainda está escuro
E segue a antiga trilha ate chegar
No jardim que ele consagrou
Sozinho em oração ao conversar com seu Pai

Quebrantado ele abre sua alma
Buscando em Deus descanso encontrar
E a paz que enche o coração da esperança que não vai achar em outro lugar

Nas mãos do Pai derrama a sua vida
Que ele troca pela salvação
De cada membro de sua família
E esta é a herança que deixou
Que deixou, que deixou, que deixou

Nas mãos do Pai derrama a sua vida
Que ele troca pela salvação
De até mil gerações de sua família
E esta é a herança que deixou

Gostei dessa canção desde a primeira vez que ouvi. (Aliás, todo o CD está muito bom. Vale a pena comprá-lo.) Ficava imaginando a história contada em forma de música.

Via um senhor, com seus 50 e poucos anos, cabelos grisalhos, marcas ao lado do nariz por usar óculos, marcas de cansaço no rosto por tantos anos trabalhados, levantando de seu quarto no meio da noite. O imaginava buscando seus óculos na mesinha de cabeceira, ao lado de porta-retratos com fotos suas com sua esposa, filhos e netos e de uma Bíblia aparentando ser velha mais pelo uso do que pela idade.

O via levantando-se de sua cama calmamente, para não atrapalhar o sono de sua companheira fiel de tantos anos, que tantas noites havia acordado para acompanhá-lo em seu trabalho assalariado no meio da noite.

Imaginava esse senhor com as mãos estendidas à sua frente tentando evitar esbarrar na parede, dando a volta pelos móveis de sua casa que ele tanto conhecia, subindo as escadas para um quarto especial que, apesar de não haver tanta mobília, era o cômodo mais aconchegante da casa que havia transformado em um lar para sua família.

Por vezes imaginei as palavras balbuciadas em conversas longas com seu Pai. Talvez, se estivesse ao seu lado, ouviria frases incompletas como “Abençoa-os neste dia…”, “Guarde-os…”, “…a cada dia mais”, “…de sua bênção…”, dentre tantas outras.

Fiquei tentando imaginar quais versículos esse pai de família leria ao declarar bênçãos para sua família. Talvez as bênçãos por seguir ao Senhor, em Deuteronômio 28:1-2, ou a declaração abençoada de  Números 6:24-26, ou quem sabe as bem-aventuranças de Mateus 5:3-12. Imaginei quantas marcas de lágrimas não havia sobre as páginas daquele livro que tantas vezes folheou buscando direção para seus filhos, genros e noras e netos.

Quantas noites em claro não passou derramando sua vida ao Criador da vida até que sentisse uma paz no seu coração de que tudo ficaria bem com seus amados? Quantas horas de sono gastas acordado na madrugada clamando pela salvação de seus herdeiros?

E, de repente, essa canção passa a me falar de outra herança. De um outro homem não tão velho, mas muito experiente. Não tão adiantado em dias, porém com uma sabedoria e conhecimentos ímpares. A segunda estrofe me fez imaginar um homem de 30 e poucos anos, que havia começado seu ministério apenas 3 anos antes.

Imaginei o filho do carpinteiro seguindo uma antiga trilha, um caminho pelo qual Ele já havia passado diversas vezes, noites e dias. E até mesmo séculos antes.

Em minha mente veio a imagem do Mestre levando seus melhores amigos até um Jardim onde se prensavam olivas, para ali, novamente em intimidade com Seu Pai, fazer uma última oração, de tantas as outras que havia se acostumado a levantar em Sua curta vida.

Pude visualizar as marcas em seu rosto, não de cansaço, mas de entrega. Não de um trabalho árduo feito, mas da obra mais árdua de todas a ser feita. Fiquei pensando quanto peso havia nas mãos e nos ombros daquele homem, Filho do Homem, para que gotas de sangue brotassem de sua testa, como se o preparassem para o derramamento de sangue que se seguiria.

E, de repente, imaginei uma paz. Aquela que só o Pai nos dá. Aquela que O havia feito dormir tranquilamente em um barquinho em meio a uma tempestade. Aquela paz que Ele, por muitas vezes, havia trazido à Maria Madalena, ao centurião que tinha um criado doente, a Jairo, à Maria e Marta quando seu irmão havia falecido.

Essa paz, que só nosso irmão primogênito poderia trazer, entregando Sua vida em um jardim, como que para nos levar de volta ao Jardim onde fomos criados, onde havia a Presença constante e incessante do Pai. Onde havia paz sem fim.

“E essa é a herança que Ele deixou.”

30

31 de Janeiro – 30 anos

Continuando o que fiz nos anos anteriores (29, 28272625), vou registrar como está minha vida atualmente.

No ano passado, escrevi e publicamos um livro, A Manifestação dos Filhos. Escrevi um pouco sobre isso aqui. Pela graça de Deus, pude começar a seguir melhor os passos da minha mãe e do meu avô, que já publicaram alguns livros. O meu já tem sido uma bênção na vida de algumas pessoas, inclusive alunos da Escola de Missões do Projeto Flechas. E sei que muitos ainda virão.

Também no ano passado, comecei a namorar e fiquei noivo da Danielle. Deus é maravilhoso, e sempre prepara as coisas certas na hora certa. Um dia contaremos nossa história melhor, mas basta dizer que encontrei a mulher dos sonhos de Deus para mim, e ela estava bem ao meu lado: ela foi a coordenadora da Turma 2013 da Escola de Missões. É como eu sempre falei, e Deus fez disso uma verdade em minha vida novamente: “cuide dos sonhos de Deus, que Ele cuida dos teus.”

Há poucos meses fui conhecer uma aldeia indígena, no Maruwai, uma aldeia 100% evangelizada, onde todos os índios são crentes fervorosos no Senhor. Foi uma experiência inesquecível ver como Deus se move ao ponto de transformar uma comunidade e uma cultura. O Senhor é maravilhoso!

Nos próximos meses…

Vou a casamentos… muitos casamentos! Vários alunos da Escola de Missões se casarão neste ano, e alguns Flechas já casados terão filhos. Será um ano de muitos frutos–o ano da família!

Neste ano vou me casar. Sim, já estamos com a data marcada, e estamos pensando em algumas coisas. Ainda não organizamos quase nada, porque a correria tem sido muito grande, mas sabemos que o Senhor está no controle, e nosso casamento será para honra d’Ele. E acontecerá na época que completo 12 anos de ministério em tempo integral–tempo de governo!

Este ano, sei que vai ser especial, afinal, é mais uma década de vida que se inicia. Na cultura hebraica, o homem se torna adulto, pronto para ser sacerdote aos 30 anos. E não é a toa que é com essa idade que eu vou me casar–Deus prepara tudo no Seu tempo. Além disso, foi com essa mesma idade que Jesus começou Seu ministério.

Creio que está numa boa hora para começar.

São 30 anos servindo ao Senhor, e que venham mais 30, 60, 90…

Só tenho a dizer uma coisa: Obrigado, Senhor!

Jim Elliot, missionary, martyr

Carta de Jim Elliot a Seus Pais

Jim Elliot, que morreu como mártir nas praias do Equador, a seus pais quando lhes disse que estava partindo:

“Não me surpreende que vocês fossem entristecidos com a notícia da minha ida para a América do Sul. Isso não é nada mais do que aquilo que o Senhor Jesus nos advertiu quando ele disse aos discípulos que deveriam se tornar tão apaixonados com o reino e em segui-lo de tal forma que todas as outras alianças devem se tornar como se nunca tivessem sido feitas. E ele nunca excluiu o laço familiar. Na verdade, esses amores que consideramos como mais íntimo, ele nos disse que deveriam se tornar como ódio, em comparação com os nossos desejos de defender sua causa. Não se entristeçam, então, se os seus filhos parecem abandoná-los, mas, em vez disso, alegrem-se de ver a vontade de Deus realizada com alegria. Lembrem-se como o salmista descreveu os filhos? Ele disse que eles eram como uma herança do Senhor, e que todo homem deveria ficar feliz se tivesse a sua aljava cheia deles. E do que é cheia uma aljava  senão de flechas? E para que servem as flechas se não forem para serem atiradas? Assim, com os braços fortes da oração, puxa-se a corda do arco para trás, lançando as flechas — todas elas, direto nos exércitos do Inimigo.”

‘Consagre teus filhos para levarem a mensagem gloriosa, Dê de tuas riquezas para acelerá-los em seus caminhos, Derrama a tua alma por eles em oração vitoriosa, E tudo o que gastastes, Jesus te retribuirá.’”

A história de Jim Elliot e seu filho é contada no filme Terra Selvagem. Ótimo filme!

Peguei no Voltemos ao Evangelho, aqui.

Aldeia Maruwai

Maruwai

Na semana retrasada pude visitar a Aldeia Maruwai, da tribo Macuxi, na reserva indígena do Médio São Jorge, a 150km de Boa Vista, em Roraima. Essa comunidade foi evangelizada há cerca de 20 anos por missionários da igreja Metodista e praticamente toda a comunidade hoje é salva. Algumas crianças já são a terceira geração de crentes na família. Muitos deles já tem nomes cristãos como Isaque, Estêvão, Natanael, etc.

Continue reading