Sejam Meus Imitadores

“Sejam Meus Imitadores”

O apóstolo Paulo declara essa frase pelo menos 6 vezes na Bíblia, em 1 Co. 4:16; 1 Co. 11:1; Fp. 3:17; 1 Ts. 1:6; 1 Ts. 4:1 e 2 Ts. 3:9. Aqui estão algumas delas:

1 Co. 4:16 – “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores.”

1 Co. 11:1 – “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.”

Fp. 3:17 – “Irmãos, sede imitadores meus e observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós.”

Em Filipenses 3:17 ele chega a dizer “imitem os que me imitam“.

Ao ler pela primeira vez essas passagens, e fácil de concluir que ele era alguém soberbo, altivo, que não tinha nada de humildade.

E estaríamos totalmente errados nessa conclusão.

Ele fala, sim, para o imitarmos. Mas em qual aspectos? Quais situações?

1) Esperar o tempo certo

Apesar de ser alguém totalmente capaz, com um profundo conhecimento da Torah (era “fariseu, filho de fariseus“), com uma intrepidez tremenda, Paulo só foi lançado para o ministério missionário muitos anos após sua conversão.

Quando caiu do cavalo na estrada para Damasco (Atos 9:3-4), ele entrou na cidade, ficou 3 dias cego (Atos 9:9), converteu-se e foi batizado (Atos 9:18). Depois passou 3 anos na Arábia (Gl. 1:17-18), outros 5 anos na Síria, Cilícia e Tarso, sua cidade natal (Gl. 1:21), depois outros 3 anos servindo na igreja em Antioquia da Síria (Atos 11:22, Atos 11:25), como mestre (Atos 13:1) e até com obras sociais (Atos 11:29-30). Só então foi separado para missões – 11 anos depois!

E quantas vezes nós achamos que já somos capazes, só porque participamos de algum seminário de alguns dias, ou porque temos frequentado a igreja por 5 anos, ou até mesmo porque alguém já nos impôs as mãos.

Paulo soube esperar o tempo certo. E foi o 2º maior missionário da história – só atrás de Jesus, o Messias.

2) Submissão

Apesar de ter um dom de liderança extremamente aguçado, ele soube se submeter por onde quer que fosse, em todas as situações da sua vida.

Na 1ª Viagem Missionária ele pregou somente para os judeus:

Atos 13:5 – “Chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus, e tinham a João como auxiliar.”

Atos 13:14 – “Mas eles, passando de Perge, chegaram a Antioquia da Psídia; e entrando na sinagoga, no dia de sábado, sentaram-se.”

Atos 14:1 – “Em Icônio entraram juntos na sinagoga dos judeus e falaram de tal modo que creu uma grande multidão tanto de judeus como de gregos.”

Ele não pregou diretamente aos gentios, mesmo com a certeza de que fora chamado para isso, como lemos em Gl. 1:16:

“…revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, não consultei carne e sangue…”

Por que? Porque a Igreja daquela época ainda não tinha entendido que a salvação era também para os gentios.

Ao final de sua 1ª Viagem Missionária ele se reúne, juntamente com Barnabé, com os apóstolos em Jerusalém, que entendem que Jesus veio para salvar a todos, não somente os judeus (Atos 15). Só então ele passa a pregar livremente para os gentios:

Gl. 2:9 – “e quando conheceram a graça que me fora dada, Tiago, Cefas [Pedro] e João, que pareciam ser as colunas, deram a mim e a Barnabé as destras de comunhão, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;”

Além disso, mesmo após 3 viagens missionárias e de haver escrito 7 epístolas que hoje fazem parte do Novo Testamento, ele atendeu o pedido dos apóstolos para se purificar:

At. 21:23-26 – “23 Faze, pois, o que te vamos dizer: Temos quatro homens que fizeram voto; 24 toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles as despesas para que rapem a cabeça; e saberão todos que é falso aquilo de que têm sido informados a teu respeito, mas que também tu mesmo andas corretamente, guardando a lei. 25 Todavia, quanto aos gentios que têm crido já escrevemos, dando o parecer que se abstenham do que é sacrificado a os ídolos, do sangue, do sufocado e da prostituição. 26 Então Paulo, no dia seguinte, tomando consigo aqueles homens, purificou-se com eles e entrou no templo, notificando o cumprimento dos dias da purificação, quando seria feita a favor de cada um deles a respectiva oferta.”

Paulo não precisava ter feito isso – e sabia disso. Mas o fez. Por que? Porque entendia e seguia o princípio da submissão à autoridade.

3) Rebaixar a si mesmos

Embora a frase “sejam meus imitadores” pareça revelar alguém soberbo, ela foi dita, na verdade, por alguém que cada vez mais diminuia.

Em sua 3ª Viagem Missionária, por volta do ano 55 d.C. Paulo escreveu, em 1 Co. 15:9:

“Pois eu sou o menor dos apóstolos, que nem sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus.”

Quando ele escreveu isso, já tinha fundado cerca de 10 igrejas por toda a Galácia, Macedônia e Grécia, além de ter escrito 1 e 2 Tessalonicenses e Gálatas.

Mais adiante, ele escreveu em Ef. 3:8:

“A mim, o mínimo [menor] de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar aos gentios as riquezas inescrutáveis de Cristo”

Nessa época ele preso em Roma (já havia passado 2 anos na prisão em Cesaréia), após escrever Romanos, entre outros 7 livros do Novo Testamento.

Mais adiante, cerca de 3-4 anos antes de ser morto, ele escreve em 1 Tm. 1:15, após haver escrito 11 epístolas, que fazem parte do Novo Testamento hoje:

“Fiel é esta palavra e digna de toda a aceitação; que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o principal

Paulo descreveu a si mesmo como “menor dos apóstolos”, “menor de todos os santos” e “principal dos pecadores”.

Por que? Porque ele entendeu que “É necessário que Ele cresça e que eu diminua.” (João 3:30). Quanto mais ele conhecia de Jesus, aprendia d’Ele e crescia em intimidade com Ele, mas ele se via indigno e menor.

4) Cumprir a missão até o fim

Em Atos 21:11, Paulo recebe uma profecia (através de um ato profético) de que seria preso em Jerusalém:

“e vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo e, ligando os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus ligarão em Jerusalém o homem a quem pertence esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios.”

Mas isso não o parou! Ele sabia que, mesmo que fosse preso, Deus o havia dito para que fosse até Roma. E ele estava disposto a ir até o final em sua missão:

Atos 21:15 – “Depois destes dias, havendo feito os preparativos, fomos subindo a Jerusalém.”

Lá ele foi preso, e passou 2 anos em Cesaréia, sem acusações formais, antes de sua viagem para Roma. Nessa viagem, ele passou por tempestades e naufrágio, mas não parou (Atos 27).

Paulo sabia qual era sua missão. E sabia que tinha que ir até o final.

Quer imitar a Paulo? Então espere o tempo certo, submeta-se e cumpra a missão até o final, para que você possa também dizer:

2 Tm. 4:7-8 – “7 Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. 8 Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.”

5 thoughts on ““Sejam Meus Imitadores””

  1. Aeeee… Pr.André A Paz de Cristo estja Contigo!
    Valeu pela Palavra Aprendi Legal!!!!Deus o Abençoe a ti e a Todos q estiverem ao seu redor! Abraços!

  2. Se o apóstolo Paulo era muito zeloso no engano da religiosidade, imagine quando foi liberto, batizado e cheio do ESPIRITO SANTO DE DEUS. Verdadeiramente um servo do SENHOR . Fico pensando no espinho que lhe foi posto na carne ! Orou ao Senhor, e mais uma vez testemunhou o quanto ele amava a almas . Louvo ao Senhor pelos servos que ELE tem levantado com a visão de responsabilidade e AMOR GENUINO . A PALAVRA DE DEUS LIBERTA, OPERA E NÃO VOLTA VAZIA , ainda estou coxeando ,mais clamo caminhando e crendo que a Boa Obra que o Senhor Jesus começou na minha vida , ELE, SÓ ELE É FIEL PARA COMPLETA-LA . O SENHOR É CONTIGO VARÃO ! O irmão fez-me lembrar aquele versículo: Quando eu era menino…etc, (a minha espada tá meio enferrujada, não lembro o vers). Paz do Senhor Jesus ! Aguardo o próximo “Banquete” !!!!!!

  3. Caro irmão André, achei bem interessante seu ponto de vista. de fato, Paulo podia dizer” sede meus imitadores”. Mas quantos de nossos líderes hoje poderiam dizer o mesmo? Se tivessem coragem? Infelizmente sabemos a resposta. Poucos tem estatura moral para tanto, pois suas vidas o negariam.
    Estou para conhecer alguém assim. E não adianta apenas ouvir belos sermões e suaves palavras, ditas em templos suntuosos e na segurança de gabinetes.
    Essa imitação de Cristo deve ser conquistadas nas experiências de vida real, no combate com os vícios, com os homens, com os demônios .
    Temos de andar umas duas milhas…

    Abraços.
    Ir. Rubens Lima
    Osasco-SP

Deixe Sua Resposta